Fornos do Pinhal

fornos_pinhalFornos do Pinhal situa-se muito perto da margem esquerda do Rio Calvo, afluente do Rio Rabaçal.

Foi um curato de apresentação do abade de Santa Valha, no termo da vila e concelho de Monforte de Rio Livre. Em 1527, segundo o Cadastro da População do Reino, tinha cerca de 30 fogos, sendo o “seu senhor”, nessa altura, D. Afonso de Ataíde, conde de Atouguia. Nesse documento, é referida a freguesia de Fornos do Pinhal. No entanto, apenas em 1755 a povoação foi descrita com algum pormenor pela primeira vez, sendo caracterizada pelo parágrafo que a seguir se apresenta:

“Fornos do Pinhal, província de Trás-os-Montes, bispado de Miranda, comarca da Torre de Moncorvo, termo de Monforte de Rio Livre, anexa ao benefício de Santa Valha. É de donatário que é o conde de Atouguia. Tem 104 vizinhos, 324 pessoas de sacramentos (…)”.

É uma freguesia que não tem aldeias anexas.

Do prisma eclesiástico, pertenceu primitivamente à Arquidiocese de Braga, passando depois para o de Miranda do Douro. Aquando da criação da diocese de Bragança, em 1770, passou à jurisdição desse prelado. Em 1885 voltou à Arquidiocese e, em 1992, ao tempo da criação da diocese de Vila Real, passou para a nova diocese, à qual pertence na actualidade.

Ao nível do património edificado, merece destaque a Igreja Matriz. Construída em 1682 por ordem do abade Martim Velho Barreto, é um templo humilde, reconstruído depois do incêndio que, em 1928, praticamente o reduziu a cinzas.

Quanto à etnografia mais pura desta população, ficou célebre, em tempos, uma festa que todos os anos, pelo S. João, se realizava – “mouriscada” ou “mouriscadas”, que tinham uma forte componente militar embora se caracterizassem por ter também carácter religioso: simulavam combates a pé e a cavalo entre fracções rivais, desfilando depois de finda a luta, diante dos “mordomos” e demais população. Tratava-se de um evento que atraía a Fornos do Pinhal milhares de forasteiros. Uma evocação, afinal, do carácter rural desta freguesia e do seu passado histórico.

Fonte:

“Monografia de Valpaços”, A. Veloso Martins, 2ª edição, Dez. 1990, edição da Câmara Municipal de Valpaços

Saiba mais em obras disponíveis na Biblioteca Municipal de Valpaços, nomeadamente:

Saiba mais em obras disponíveis na Biblioteca Municipal de Valpaços, nomeadamente:

“Moinhos”, Vol. 1, “Fontes de Abastecimento de Água”, Vol. 1, “Geomonumentos”, “Chaminés”, “Lagares Cavados na Rocha”, “Carta Arqueológica”, todos de Adérito Medeiros Freitas;

“Marcos da Nossa Terra”, de Padre Manuel Alves;

“Valpaços Património Artístico”, de Roger Teixeira Lopes;

“Valpaços-Lo-Velho”, de José Lourenço Montanha de Andrade;

“Monografia de Valpaços”, de A. Veloso Martins;

“As Freguesias do Distrito de Vila Real Nas Memórias Paroquiais de 1758”, de José Viriato Capela, Rogério Borralheiro e Henrique Matos;

Informações úteis

Área da freguesia – 11,14 Km2
Número de habitantes – 320
Aldeias anexas: não tem
Distância a Valpaços – 9 Km
Orago – S. João
Colectividades – Centro Cultural e Desportivo de Fornos do Pinhal
Festas e Romarias:
Santo António (13 de Junho)
S. João (24 de Junho)
S. Pedro (28 de Junho)
N.ª Senhora da Natividade (8 de Setembro)
Festa do Emigrante (móvel em Agosto)

Património cultural e edificado

Igreja Paroquial
Capela da Senhora do Prado
Capela de Santo António
Capela de N.ª Senhora da Natividade
Capela de N.ª Senhora da Ajuda
Casa dos Arcos
Solar dos Calainhos
Ponte do Salto
Fontes (Fonte da Praça, Fonte do Bairro de Baixo)

Outros locais de interesse turístico

Fraga da Laje (miradouro natural com vestígios pré-históricos e marco geodésico)

Constituição e dados da Junta de Freguesia

Partido – PPD / PSD
Presidente – António Joaquim Rua de Almeida (PSD)
Morada – Av.ª Francisco Tavares, 5430-100 Fornos do Pinhal
Telefone – não disponível
E-mail – freguesia.fornospinhal@gmail.com

©Todos os direitos reservados | Câmara Municipal de Valpaços, Praça do Município, 5430-482 Valpaços | 278 710 130 | municipio@valpacos.pt