Vales

valesSituada no extremo sul do concelho, abrigada nas faldas da serra de Santa Comba, esta antiquíssima paróquia dos Vales tem por orago S. Nicolau.

Todas as indicações históricas desta freguesia nos séculos XII e XIII levam à conclusão que o seu povoamento é muito anterior à Nacionalidade. Parece que estava abrangido pela sua área o cume da ramificação da Serra de Vilarelho, conhecido por “Monte Orelhão”.

A sua designação é antiquíssima, pois que, se não ascende à época romana é, pelo menos, da Reconquista Cristã (séc. IX – X).

A actual freguesia dos Vales corresponde à velha paróquia de Santa Comba de Orelhão, depois do séc. XIV mudada para S. Nicolau dos Vales, com simples alteração de oragos.

O território dos Vales de Orelhão fora reivindicado pelo prócer Bragançano e também pelo Arcebispo de Braga, D. João Peculiar, mas não há certeza absoluta de que esta “villa” fosse, como a Igreja, da Sé Bracarense.

Nas Inquirições de 1258 dizia-se que “a Igreja de Santa Comba do Monte Orelhão e a villa de Zebras e de Vales foram de el-rei”. Não houve qualquer referência à albergaria de Santa Comba, ou melhor, à Igreja de S. Nicolau, por estar adstrita a uma instituição com que nada tinha a coroa – a albergaria. Nos fins do reinado de D. Dinis, para melhor prova, a paróquia já se dizia de “Orelhão” ou dos “Vales” indistintamente, embora o orago continuasse a ser Santa Comba.

Mais tarde, talvez por ruína da antiga Igreja desta Santa, a paróquia passou para a Igreja de S. Nicolau, cuja freguesia (Vales) foi sempre padroado de mitra.

Há, pois, todas as provas da antiguidade do povoamento local no monte Orelhão. Supõe-se que terá existido um castro cujos cultos foram, antes da Nacionalidade, substituídos pelo de Santa Comba, tendo sido aí edificada uma Igreja.

A situação e a decrepitude levaram à transferência da Igreja para a de S. Nicolau, que ficava mais acessível.

Pela ligação medieva às terras, a freguesia dos Vales foi do concelho de Montenegro, até à extinção dele, em 31 de Dezembro de 1853, data em que passou para o de Valpaços. Em 26 de Setembro de 1896, foi anexada ao de Murça, voltando ao de Valpaços, em 13 de Janeiro de 1898.

Apesar de se situar mais sul do que muitas das povoações do concelho, na já nitidamente considerada Terra Quente, Vales e Zebras apresentam um clima frio e áspero,

Esta freguesia orgulha-se de ser cenário de uma das mais belas lendas da história da literatura portuguesa: a Lenda de Santa Comba dos Vales.

Fonte:

“Monografia de Valpaços”, A. Veloso Martins, 2ª edição, Dez. 1990, edição da Câmara Municipal de Valpaços

Saiba mais em obras disponíveis na Biblioteca Municipal de Valpaços, nomeadamente:

“Moinhos”, Vol. 2, “Fontes de Abastecimento de Água”, Vol. 1 , “Geomonumentos”, “Chaminés”, “Carta Arqueológica”, todos de Adérito Medeiros Freitas;

“Valpaços-Lo-Velho”, de José Lourenço Montanha de Andrade;

“Santa Comba dos Vales”, de Silvério Benigno Lino Pires;

“Monografia de Valpaços”, de A. Veloso Martins;

“As Freguesias do Distrito de Vila Real Nas Memórias Paroquiais de 1758”, de José Viriato Capela, Rogério Borralheiro e Henrique Matos;

Informações úteis

Área da freguesia – 22,26 Km2
Número de habitantes – 257
Aldeias anexas:
Zebras
Distância a Valpaços – 19 Km
Orago – S. Nicolau
Festas e Romarias:
Santa Comba (8 de Agosto)
Santíssimo Sacramento (1.º domingo de Julho)
Festa do Emigrante (9 de Agosto)

Património cultural e edificado

Igreja Paroquial
Capela de Santa Comba
Capela de Santo António
Capela do Santíssimo Sacramento
Alminhas
Fonte de Mergulho, no Bairro da Igreja
Fonte de S. Leonardo, na Serra de Santa Comba
Castro de Santa Comba

Constituição e dados da Junta de Freguesia

Partido – PPD / PSD
Presidente – Manuel António Alves Esteves (PSD)

Morada – Vales, 5430-302 Vales
Telefone – 259 539 164
E-mail – não disponível

©Todos os direitos reservados | Câmara Municipal de Valpaços, Praça do Município, 5430-482 Valpaços | 278 710 130 | municipio@valpacos.pt