Passar para o Conteúdo Principal Top
Logótipo
  • Youtube
  • Issuu
  • RSS feed

“Negligência, Risco e Maus-Tratos na Infância e Adolescência” debatidos em Valpaços

“Negligência, Risco e Maus-Tratos na Infância e Adolescência” debatidos em Valpaços
“Negligência, Risco e Maus-Tratos na Infância e Adolescência” debatidos em Valpaços
11 Dezembro 2015

Quase uma centena de pessoas participaram na iniciativa levada a cabo pela Divisão de Ação Social do Município de Valpaços sobre o tema “Negligência, Risco e Maus-Tratos na Infância e Adolescência”.   Dezenas de profissionais ligados a Instituições Particulares de Solidariedade Social, à Segurança Social e outras entidades, preencheram a plateia do Simpósio, na passada quinta-feira, 3 de Dezembro. A iniciativa que visou abordar a “Negligência, Risco e Maus-Tratos na Infância e Adolescência”, levada a cabo pela Divisão de Ação Social e dirigida por Filomena Ribeiro e sua equipa, decorreu durante todo o dia. A participação foi muito interactiva, tendo sido abordadas questões muito pertinentes no que concerne a esta problemática. O Presidente da Câmara Municipal de Valpaços, Amílcar Almeida, deu início aos trabalhos, louvando a iniciativa. “A equipa da Ação Social do Município há muito que nos habituou a trazer ao debate temas pertinentes. Este toca-nos particularmente, ainda mais pela proximidade do Natal, altura em que os valores morais mais fundamentais se levantam”, começou por dizer o Presidente do Município. Licenciado em direito e com a área da Ação Social diretamente ligada a si, Amílcar Almeida mostrou-se sensível ao tema, “deveras importante na construção de uma sociedade equilibrada e construtiva”. Filomena Ribeiro salientou que “o objetivo deste evento é principalmente despertar consciências e alertar para uma moral social no que toca à negligência, ao risco e aos maus-tratos de crianças e adolescentes”. “É um assunto inquietante para o qual urge encontrar soluções”, sentenciou. Fez parte do primeiro painel Márcia Esteves, como Presidente da Comissão de Proteção de Crianças e Jovens de Valpaços, que apresentou a entidade que dirige e a sua dinâmica. A também Técnica do Município chamou a atenção para as dificuldades em fazer cumprir os Acordos de Promoção e Proteção para as crianças e jovens em risco por parte dos intervenientes e seus agregados familiares. A segunda oradora, Carla Nunes, Psicóloga Clinica do CAT – Centro de Acolhimento Temporário - de Vilarandelo, abordou o tema “O risco de ser criança ou a criança em risco?”. Durante o período da tarde, o painel foi composto pelas intervenções de Ângela Costa, Procuradora do Ministério Público da Comarca de Valpaços, e João Pinto Coelho, Docente da Escola Secundária de Valpaços, que abordaram as problemáticas mais preocupantes do nosso concelho, dando uma perspectiva muito real e com resultados surpreendentes. A dinâmica gerada à volta deste simpósio, permitiu que todos os participantes ficassem mais aptos a novos desafios.