Água Revés e Crasto

água_revésO povoamento da Freguesia de Água Revés e Crasto remonta aos inícios da nacionalidade, também se devendo considerar fundada nessa altura a Igreja Matriz, em honra de S. Bartolomeu. Efetivamente, a parrochia de S. Bartolomeu de Aguas-Reveis já aparece instituída no séc. XIII, sendo indicada entre as Igrejas de Montenegro no arrolamento de 1320-1321. Posteriormente, a abadia da Igreja foi de apresentação da Casa de Bragança.

O Cadastro de 1527 faz alusão à localidade, imputando-lhe mais de 40 fogos.

Presume-se que o concelho de Água Revés tivesse tido carta de povoação do séc. XII ou XIII, dado que, nessa altura, era uma concessão vulgar para as terras Transmontanas. Todavia, não é possível aferir se o concelho de Água Reveis teve foral velho. D. Manuel I concedeu-lhe foral, em Évora, a 12 de Novembro de 1516, mantendo-se como Vila e sede do concelho até 1836 – ano em que foi extinto, passando para o concelho de Carrazedo de Montenegro. Apenas em 1853, depois da extinção deste, integrou o concelho de Valpaços.

Judicialmente pertenceu, no princípio, à antiga comarca de Moncorvo, a seguir à de Chaves e, por fim, à de Valpaços.

Urge uma pequena referência a Crasto que, antigamente, era uma freguesia independente, tendo sido curato anexo à Reitoria de Carrazedo de Montenegro, que apresentava como vigário anual, o seu pároco.

Água Revés tem o privilégio de possuir um Pelourinho classificado, desde 1953, como Imóvel de Interesse Público, que se situa no centro da povoação e que se pensa ser bastante posterior à outorga do foral.

Na povoação existem, ademais, algumas casas solarengas, das quais se destaca a da família Sampaio e Cunha, cuja Capela, dedicada a S. Caetano, é uma transposição para a pedra da exuberância do estilo Barroco, tendo sido fundada em 1737. Acresce mencionar que a sua fachada ostenta a pedra d’armas do seu doador – Manuel Mariz Sarmento.

Fonte:

“Monografia de Valpaços”, A. Veloso Martins, 2ª edição, Dez. 1990, edição da Câmara Municipal de Valpaços

Saiba mais em obras disponíveis na Biblioteca Municipal de Valpaços, nomeadamente:

“Moinhos, vol. 2”, “Fontes de Abastecimento de Água – vol. 1”, “ Geomonumentos – 2ª edição”, “Relógios de Sol”, “Chaminés”, “Corpus dos Petróglifos do Concelho de Valpaços”, “Carta Arqueológica”, todos de Adérito Medeiros Freitas;

“Valpaços Património Artístico”, de Roger Teixeira Lopes;

“Valpaços-Lo-Velho”, de José Lourenço Montanha de Andrade;

“Monografia de Valpaços”, de A. Veloso Martins

“As Freguesias do Distrito de Vila Real Nas Memórias Paroquiais de 1758”, de José Viriato Capela, Rogério Borralheiro e Henrique Matos;

Informações úteis

Área da freguesia – 20,10 Km2
Número de habitantes – 342
Aldeias anexas:
Crasto
Brunhais
Fonte Mercê
Distância a Valpaços – 9 Km
Orago – S. Bartolomeu
Festas e Romarias:
São Bartolomeu (24 de Agosto)
Santa Rita (Agosto)
Nossa Senhora da Expectação (Agosto)
Colectividades:
Associação Cultural e Recreativa de Água Revés
Associação Cultural e Recreativa de Fonte Mercê

Património cultural edificado

Igreja Matriz
Pelourinho de Água Revés e Crasto (classificado como Imóvel de Interesse Público, através do Decreto n.º 39175, de 17 de Abril de 1953).
Casa dos Sampaio Cunha e Capela de S. Caetano (imóvel em vias de classificação)
Capela de Santo Amaro
Capela do Salvador
Solar do Crasto
Fontes de mergulho (Fonte de S. Pedro; Fonte de S. João; Fonte dos Namorados, em Crasto)

Outros locais de interesse turístico

Lugar do Alto do Concelho
Lugar do Calvário
Cerca dos Mouros (castro)
Fraga das Passadas (gravuras rupestres)

Constituição e dados da Junta de Freguesia

Partido – PSD
Presidente – José Olímpio Morais Pereira
Morada – Água Revés e Castro, 5430-011 Água Revés e Crasto
Telefone – 278 729 186
E-mail – não disponível

©Todos os direitos reservados | Câmara Municipal de Valpaços, Praça do Município, 5430-482 Valpaços | 278 710 130 | municipio@valpacos.pt