Sonim e Barreiros

Esta freguesia, de tão curioso nome, encontra-se muito perto do rio Rabaçal.

O topónimo Sonim demonstra a antiguidade do povoamento da localidade. É um nome de origem germânica.

No entanto, já muito antes tinham chegado a Sonim as primeiras populações. O castro de Monforte, muito próximo, demonstra-o cabalmente.

A Igreja paroquial, dedicada a Santa Maria, já estava erecta no séc. XII, tendo sido inicialmente do padroado real.

Sonim pertenceu ao concelho de Monforte do Rio Livre até 31 de Dezembro de 1853, passando nessa data para o de Valpaços.

Do património religioso da povoação, ganham, ainda, destaque três capelas: de S. Frutuoso, do Santo Cristo, e do Senhor do Bonfim. Nesta última, realiza-se todos os anos uma grandiosa festa, no último domingo de Julho. Ainda uma referência para alguns cruzeiros e alminhas que se espalham um pouco por toda a aldeia.

A arquitectura senhorial não fica atrás. O expoente desta é uma casa solarenga que se pode encontrar na Rua dos Cabancos. Pertence aos Montalvão Guedes de Andrade da Cunha Coutinho e apresenta uma imponente fachada, bem como um interior riquíssimo.

Visitar Sonim é um nunca mais acabar de surpresas. Senão, visite-se as “fragas-gralheiras”, um local onde se descobre uma paisagem admirável. O mesmo se pode dizer em relação ao fragão da “Perna do Mouro”, que é um penedo de grandes dimensões, repleto de lendas de mouros e tesouros encantados.

Ainda a praia fluvial de Sonim, confortável espaço de lazer, onde se pode observar um velho moinho de água.

Em tempos, a exploração mineira desempenhou um papel de destaque nesta freguesia. Tratava-se de minas de volfrâmio, relativamente ricas e exploradas por algumas sociedades. Na actualidade, pouco resta desse período, na medida em que estas se encontram desactivadas.

A antiga freguesia de S. Vicente de Barreiros era reitoria do padroado real no termo da Vila de Monforte de Rio Livre, pertencendo a este concelho até 31 de Dezembro de 1853, altura em que passou para o de Valpaços.

Tendo sido um “simples lugar” da freguesia de Sonim, há quem afirme que pertenceu à antiga comarca da Torre de Moncorvo. No entanto, esta opinião não é unânime, havendo quem considere (Pinho Leal), pelo contrário, que pertenceu à comarca de Chaves.

Apesar dos primeiros documentos oficiais localizarem Barreiros apenas no séc. XIII, é certo que o seu povoamento é muito anterior.

Pertenceu à parrochia Sancti Michaelis Feanes (Próquia de S. Miguel de Fiães) tendo, não obstante, igreja própria.

As Inquirições de 1258 localizam esta freguesia no julgado medieval de Monforte do Rio Livre. Nessa altura, a maior parte do território de Barreiros pertencia a vilões herdadores, proprietários e de foreiros à coroa não tendo, esta última, qualquer propriedade na freguesia. Posteriormente, e com base no explanado nas Inquirições de 1258, esta terá foi possuída por fidalgos, tendo sido honra de D. Gracia Peres (nobre importante da estirpe dos “de Bragança”) e de Rodrigo Lourenço (em 1258).

A povoação de Barreiros está localizada num pequeno mas fértil vale, na parte norte do concelho, mais precisamente no seu extremo oriental, tendo como limite o Rio Rabaçal.

Fonte:

“Monografia de Valpaços”, A. Veloso Martins, 2ª edição, Dez. 1990, edição da Câmara Municipal de Valpaços

Com a reorganização administrativa do território das freguesias, publicada no suplemento ao Diário da República, 1.ª série, n.º19, de 28 de janeiro de 2013, a freguesia de Barreiros foi anexada à freguesia de Sonim, formando a freguesia de Sonim e Barreiros.

Saiba mais em obras disponíveis na Biblioteca Municipal de Valpaços, nomeadamente:

“Moinhos”, Vol. 1, “Fontes de Abastecimento de Água”, “Professor Albano dos Anjos Pereira”, “Geomonumentos”, “Chaminés”, “Corpus dos Petróglifos do Concelho de Valpaços”, “Lagares Cavados na Rocha” e “Carta Arqueológica”, todos de Adérito Medeiros Freitas;

“Valpaços Património Artístico”, de Roger Teixeira Lopes;

“Valpaços-Lo-Velho”, de José Lourenço Montanha de Andrade;

“(Des)Usos de Artefactos na Aldeia Transmontana de Sonim”, de Luís Aspeçada

“Monografia de Valpaços”, de A. Veloso Martins;

– “As Freguesias do Distrito de Vila Real Nas Memórias Paroquiais de 1758”, de José Viriato Capela, Rogério Borralheiro e Henrique Matos;

Informações úteis

Área da freguesia – 17,99 Km2
Número de habitantes – 450
Distância a Valpaços – 18 Km
Colectividades:
Associação Cultural e Desportiva de Sonim
Associação de Jovens de Sonim
Banda Musical de Sonim
Rancho Folclórico de Sonim
Orago – N.ª Senhora da Assunção
Festas e Romarias – Senhor do Bonfim (último domingo de Julho)
São Vicente (22 de Janeiro)
N.ª Senhora dos Aflitos (3.º domingo de Agosto)

Património cultural edificado

Igreja Paroquial de Sonim
Capela de S. Frutuoso
Capela do Santo Cristo
Capela de N.ª Senhora de Lurdes
Capela do Senhor do Bonfim
Fonte do Senhor do Bonfim
Pedra d’armas da família Ferreira
Cruzeiro
Alminhas
Fonte de mergulho
Gravuras rupestres da “Perna do Mouro”
Forno comunitário
Lagares de azeite
Igreja Matriz de Barreiros
Capela de N.ª Senhora dos Aflitos
Fonte de Mergulho, no lugar do Prado
Caminho romano
Moinhos
Forno comunitário
Lagares

Outros locais de interesse turístico

Miradouro das fragas gralheiras (Sonim)
Moinhos de água (Sonim)
Margem direita do Rio Rabaçal (com zona piscatória e praia fluvial)

Constituição e dados da Junta de Freguesia

Partido – UPP
Presidente – Saúl António Teixeira Pessoa (UPP)
Morada – Av. Sr. do Bonfim , 5430-271 Sonim
Telefone – 278 759 227
E-mail – juntasonimbarreiros@gmail.com

©Todos os direitos reservados | Câmara Municipal de Valpaços, Praça do Município, 5430-482 Valpaços | 278 710 130 | municipio@valpacos.pt