Passar para o Conteúdo Principal Top
Logótipo
  • Youtube
  • Issuu
  • RSS feed

Fornos do Pinhal

fornos_pinhal

Fornos do Pinhal situa-se muito perto da margem esquerda do Rio Calvo, afluente do Rio Rabaçal.

Foi um curato de apresentação do abade de Santa Valha, no termo da vila e concelho de Monforte de Rio Livre. Em 1527, segundo o Cadastro da População do Reino, tinha cerca de 30 fogos, sendo o “seu senhor”, nessa altura, D. Afonso de Ataíde, conde de Atouguia. Nesse documento, é referida a freguesia de Fornos do Pinhal. No entanto, apenas em 1755 a povoação foi descrita com algum pormenor pela primeira vez, sendo caracterizada pelo parágrafo que a seguir se apresenta:

“Fornos do Pinhal, província de Trás-os-Montes, bispado de Miranda, comarca da Torre de Moncorvo, termo de Monforte de Rio Livre, anexa ao benefício de Santa Valha. É de donatário que é o conde de Atouguia. Tem 104 vizinhos, 324 pessoas de sacramentos (…)”.

É uma freguesia que não tem aldeias anexas.

Do prisma eclesiástico, pertenceu primitivamente à Arquidiocese de Braga, passando depois para o de Miranda do Douro. Aquando da criação da diocese de Bragança, em 1770, passou à jurisdição desse prelado. Em 1885 voltou à Arquidiocese e, em 1992, ao tempo da criação da diocese de Vila Real, passou para a nova diocese, à qual pertence na actualidade.

Ao nível do património edificado, merece destaque a Igreja Matriz. Construída em 1682 por ordem do abade Martim Velho Barreto, é um templo humilde, reconstruído depois do incêndio que, em 1928, praticamente o reduziu a cinzas.

Quanto à etnografia mais pura desta população, ficou célebre, em tempos, uma festa que todos os anos, pelo S. João, se realizava – “mouriscada” ou “mouriscadas”, que tinham uma forte componente militar embora se caracterizassem por ter também carácter religioso: simulavam combates a pé e a cavalo entre fracções rivais, desfilando depois de finda a luta, diante dos “mordomos” e demais população. Tratava-se de um evento que atraía a Fornos do Pinhal milhares de forasteiros. Uma evocação, afinal, do carácter rural desta freguesia e do seu passado histórico.

 

Fonte:
  • “Monografia de Valpaços”, A. Veloso Martins, 2ª edição, Dez. 1990, edição da Câmara Municipal de Valpaços

 

Saiba mais em obras disponíveis na Biblioteca Municipal de Valpaços, nomeadamente:
  • “Moinhos”, Vol. 1, “Fontes de Abastecimento de Água”, Vol. 1, “Geomonumentos”, “Chaminés”, “Lagares Cavados na Rocha”, “Carta Arqueológica”, todos de Adérito Medeiros Freitas;
  • “Marcos da Nossa Terra”, de Padre Manuel Alves;
  • “Valpaços Património Artístico”, de Roger Teixeira Lopes;
  • “Valpaços-Lo-Velho”, de José Lourenço Montanha de Andrade;
  • “Monografia de Valpaços”, de A. Veloso Martins;
  • “As Freguesias do Distrito de Vila Real Nas Memórias Paroquiais de 1758”, de José Viriato Capela, Rogério Borralheiro e Henrique Matos;
  • Informações úteis

    Área da freguesia: 11,14 Km2

    Número de habitantes: 320

    Aldeias anexas: não tem

    Distância a Valpaços: 9 Km

    Orago: S. João

    Colectividades: Centro Cultural e Desportivo de Fornos do Pinhal

    Festas e Romarias:

    • Santo António (13 de Junho)
    • S. João (24 de Junho)
    • S. Pedro (28 de Junho)
    • N.ª Senhora da Natividade (8 de Setembro)
    • Festa do Emigrante (móvel em Agosto)
  • Património cultural e edificado

    • Igreja Paroquial
    • Capela da Senhora do Prado
    • Capela de Santo António
    • Capela de N.ª Senhora da Natividade
    • Capela de N.ª Senhora da Ajuda
    • Casa dos Arcos
    • Solar dos Calainhos
    • Ponte do Salto
    • Fontes (Fonte da Praça, Fonte do Bairro de Baixo)
  • Outros locais de interesse turístico

    Fraga da Laje (miradouro natural com vestígios pré-históricos e marco geodésico)

  • Constituição e dados da Junta de Freguesia

    António Almeida

    Partido: PPD / PSD

    Presidente: António Joaquim Rua de Almeida (PSD)

    Morada: Av.ª Francisco Tavares, 5430-100 Fornos do Pinhal

    E-mail: freguesia.fornospinhal@gmail.com