Passar para o Conteúdo Principal Top
Logótipo
  • Youtube
  • Issuu
  • RSS feed

500 anos do Foral Manuelino a Água Revés

500 anos do Foral Manuelino a Água Revés
img_4160
18 Novembro 2019

No âmbito das “Comemorações dos 500 anos da atribuição do Foral Manuelino” a Água Revés, a junta de freguesia e a autarquia assinalaram a efeméride, este domingo, 17 de Novembro, com a realização de iniciativas culturais direcionadas à população em geral.

 

2019 vai permanecer na memória como o ano em que a Junta de Freguesia de Água Revés e Crasto festejou os 500 Anos da atribuição do Foral Manuelino.

Centenas de pessoas participaram nas comemorações, que tiveram início com a Eucaristia, que contou com a presença do “Rei”, seguindo depois para o Largo do Terreiro, onde foi apresentada a obra “Água Revés – O Foral Manuelino de 1519 e outros contributos monográficos”, da autoria de Luís Cardoso Teixeira.

Na sessão de apresentação do livro, que pretendeu assinalar os 500 anos da atribuição do foral manuelino a terras água-revenses, o Presidente da Junta de Freguesia de Água revés e Crasto, Nuno Cardoso, mostrou-se orgulhoso pela adesão da população às comemorações, que excedeu as expectativas, e agradeceu a todos os que contribuíram para que tal fosse possível.

Também o Vice-Presidente da Câmara Municipal de Valpaços, António Medeiros, valorizou este tipo iniciativas culturais, sublinhando a importância da edição desta obra para a preservação e divulgação de um documento histórico, que constitui uma valiosa fonte de registos no âmbito da esfera económica e social local. “É necessário conhecermos o passado para compreender o presente e prepararmo-nos para o futuro”, frisou.

Apesar de, ao longo dos últimos cinco séculos, o foral manuelino ter perdido o estatuto de então, adquiriu um lugar de relevo no friso identitário da memória local, pelo que esta iniciativa teve também o intuito tornar o seu conteúdo mais acessível à população, de modo a proporcionar-lhes um melhor conhecimento da sua comunidade, depositária de uma história de vários séculos.

Luís Cardoso Teixeira fez uma breve alusão ao conteúdo da obra, enaltecendo todos os que apoiaram e colaboraram para que se tornasse possível.

As comemorações continuaram com um almoço convívio, seguindo-se a inauguração das obras de requalificação do Pelourinho, uma recriação histórica, espectáculo de fogo, entre outras actividades.